quinta-feira, 31 de março de 2011

VENCEDORES E DERROTADOS

 
Quando um VENCEDOR comete um erro, diz: “Enganei-me” e aprende a lição.
Quando um DERROTADO comete um erro, diz: “A culpa não foi minha“, e responsabiliza terceiros.

Um VENCEDOR sabe que a adversidade é o melhor dos mestres.
Um DERROTADO sente-se vítima perante uma adversidade.

Um VENCEDOR sabe que o resultado das coisas depende de si.
Um DERRROTADO acha-se perseguido pelo azar.

Um VENCEDOR trabalha muito e arranja sempre tempo para si próprio.
Um DERROTADO está sempre "muito ocupado" e não tem tempo sequer para os seus.

Um VENCEDOR enfrenta os desafios um a um.
Um DERROTADO contorna os desafios e nem se atreve a enfrentá-los.

Um VENCEDOR compromete-se, dá a sua palavra e cumpre.
Um DERROTADO faz promessas, não “mete os pés a caminho” e quando falha só se sabe justificar.

Um VENCEDOR diz: "Sou bom, mas vou ser melhor ainda".
Um DERROTADO diz: "Não sou tão mau assim; há muitos piores que eu".

Um VENCEDOR ouve, compreende e responde.
Um DERROTADO não espera que chegue a sua vez de falar.

Um VENCEDOR respeita os que sabem mais e procura aprender algo com eles.
Um DERROTADO resiste a todos os que sabem mais e apenas se fixa nos seus defeitos.

Um VENCEDOR sente-se responsável por algo mais que o seu trabalho.
Um DERROTADO não se compromete nunca e diz sempre: “Faço o meu trabalho e é quanto basta”.

Um VENCEDOR diz: “Deve haver uma melhor forma de o fazer. . .”
Um DERROTADO diz: “Sempre fizemos assim.Não há outra maneira.

Um VENCEDOR é PARTE DA SOLUÇÃO.
Um DERROTADO é PARTE DO PROBLEMA.

Um VENCEDOR consegue "ver a parede na sua totalidade".
Um DERROTADO fixa-se "no azulejo que lhe cabe colocar".

Um VENCEDOR submete essa mensagem ao debate construtivo...
Um DERROTADO a LÊ e a DESTRÓI.

UM CANTO EM SURDINA

Rua Vigário João Batista na década de 20, vê-se ao fundo a Igreja de Santo Amaro 

Gabriel Dourado

Cidade de minha infância,
Dos meus sonhos de rapaz,
Dos meus primeiros amores
-dize-me agora,
Aonde vais?

Cidade quase sem ruas,
Apertadinhas demais,
Cidade das boemias,
Dos verdes canaviais
(como aquelas...nunca mais!)

Terra do meu romantismo,
Dos engenhos patriarcais,
Do São João de seu Zumba,
Das loas de Inácio Pais,
Das glosas de Mergulhão,
Chico Taboca e Caju,
De seu “Vigário sem crôa”,
Dos coqueiros de Gaibu.

Cidade das serenatas,
Das cantigas ao luar,
Cidade de tanta história
Sem nenhuma prá contar...

Cidade da minha infância,
Dos verdes canaviais
-Minha cidade querida,
Dize-me agora,
Aonde vais?


Gabriel Dourado nasceu na Cidade do Cabo. Era formado em Odontologia, foi casado e pai de cinco filhos. Teve intensa vida intelectual e foi um dos fundadores do Grêmio Literário Cabense, entidade que marcou época na cidade e, pode-se dizer, foi o embrião da Academia Cabense de Letras. Escreveu poemas e sonetos importantes e teve em UM CANTO EM SURDINA o seu mais famoso trabalho literário. Como das outras vezes, estamos oferecendo aos nossos leitores a oportunidade de conhecer de perto um dos grandes poetas e intelectuais do passado de nossa cidade.

quarta-feira, 30 de março de 2011

ENCERRANDO CICLOS


Sempre é preciso saber quando uma etapa  chega ao final..
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu.
Pode dizer para si que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração.. 
.... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa, nada é  insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. 
Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu própria, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és...  E lembra-te:
“Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão” (Fernando Pessoa)

terça-feira, 29 de março de 2011

FRASES DE MAÇONS


As regras preconizadas pela Franco-Maçonaria são puramente morais; não derivam de nenhuma fé religiosa, de nenhum credo político, de nenhuma palavra de ordem. Os homens dilacerados podem aí reencontrar os caminhos, não da unidade que não é desejável, mas da  paz e de uma certa comunhão.
Roger Mériglier
Dar socorro aos que necessitam, dar alívio aos que padecem, é obrigação essencial do Maçon. A maior necessidade e enfermidade de um povo é, porém, a falta de doutrinação esclarecida. É esta que lhe multiplica as dores e os crimes; é esta que, de ordinário, o entrega surpreso e manietado às usurpações audazes.      
Mendes Leal
O conhecimento, para ser o que deve ser não se limita a uma simples teoria, mas comporta em si mesmo a realização correspondente.      
René Guénon
Aquele que crê possuir a verdade não se preocupa em procurá-la, da mesma forma que o justo satisfeito com a sua virtude negligencia o seu aperfeiçoamento moral... a intuição dirige-se aos espíritos inquietos, àqueles que não se satisfazem com aquilo que puderam aprender... Aquele que adere a um intangível credo religioso, filosófico, científico ou político comete um erro em dirigir-se à porta do Templo: aí só poderá comportar-se como um intruso... A vocação iniciática encontra-se no seio desses vagabundos espirituais que erram na noite após terem desertado da sua escola ou igreja por lá não terem encontrado a verdadeira Luz.      
Oswald Wirth
Para operar, os Templários da Escócia serviram-se da Associação ou Grêmio Secreto de Pedreiros ou Construtores de Catedrais que, tendo em si princípios ocultos que datam de tempos remotos, tinham todavia perdido a Palavra (isto é, o Sentido, Logos) do ritual que conservavam e das estruturas que erguiam. Nesse rito morto introduziram os Templários da Escócia a Palavra que traziam, erguendo-o; e, se o fizeram, é porque as analogias eram perfeitas.  
Fernando Pessoa
A julgar pelas aparências, a Franco-Maçonaria parece mais uma associação discreta do que um Templo defendido por muralhas intransponíveis. Os rituais de todos os seus graus já foram publicados. As palavras, os sinais, a organização interna, a hierarquia da Ordem maçônica já foram divulgados... portanto, apesar dessa larga difusão, a Maçonaria continua uma realidade misteriosa não só para os profanos, mas tambem para os próprios iniciados.
René Alleau
Não vejo nos segredos das Lojas senão um véu de modéstia deitado sobre a verdade e a benevolência para lhes elevar o valor e a beleza aos olhos de Deus e dos homens.     
Alphonse de Lamartine
A Franco-Maçonaria sempre existiu, senão em ato, pelo menos em poder de dever, visto que corresponde a uma necessidade primordial do espírito humano.
Oswald Wirth
O topo derruba-nos, não os degraus que aí conduzem: gostamos de errar na planície, com os olhos fixos no cume. Só uma parte da arte se pode ensinar, o artista tem necessidade de arte total... o trabalho do maçon faz-se ao ar livre e termina, senão sempre em segredo, pelo menos, pelo segredo.           
Goëthe
Ninguém pode ser reconhecido como maçom enquanto continuar servo das suas paixões, escravo das suas crenças e cego pelos bens deste mundo.
Jean Mourgues

segunda-feira, 28 de março de 2011

FESTA SURPRESA DO ROTARY CLUB CABO


Mais informações com o senhor Ely José, presidente do Club.
8763-0762

FILHOS SÃO DO MUNDO


Devemos criar os filhos para o mundo. Torná-los autônomos, libertos, até de nossas ordens. A partir de certa idade, só valem conselhos.
Especialistas ensinaram-nos a acreditar que só esta postura torna adulto aquele bebê que um dia levamos na barriga. E a maioria de nós pais acredita e tenta fazer isso. O que não nos impede de sofrer quando fazem
escolhas diferentes daquelas que gostaríamos ou quando eles próprios sofrem pelas escolhas que recomendamos.

Então, filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter
coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado.

Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo! Então, de quem são nossos filhos? Eu acredito que são de Deus, mas com respeito aos ateus digamos que são deles próprios, donos de suas vidas, porém, um tempo precisaram ser dependentes dos pais para crescerem, biológica,
sociológica, psicológica e emocionalmente.

E o meu sentimento, a minha dedicação, o meu investimento? Não deveriam retornar em sorrisos, orgulho, netos e amparo na velhice? Pensar assim é entender os filhos como nossos e eles, não se esqueçam, são do mundo!

Volto para casa ao fim do plantão, início de férias, mais tempo para os fllhos, olho meus pequenos pimpolhos e penso como seria bom se não fossem apenas empréstimo! Mas é. Eles são do mundo. O problema é que meu coração já é deles.
Santo anjo do Senhor...

É a mais concreta realidade. Só resta a nós, mães e pais, rezar e aproveitar todos os momentos possíveis ao lado das nossas 'crias', que mesmo sendo 'emprestadas' são a maior parte de nós !!!


"A vida é breve, mas cabe nela muito mais do que somos capazes de viver "

José Saramago

sexta-feira, 25 de março de 2011

FADO TROPICAL

          Composição: Chico Buarque/ Ruy Guerra 1972-1973
          Para a peça Calabar

Oh, musa do meu fado
Oh, minha mãe gentil
Te deixo consternado
No primeiro abril
Mas não sê tão ingrata
Não esquece quem te amou
E em tua densa mata
Se perdeu e se encontrou
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

``Sabe, no fundo eu sou um sentimental
Todos nós herdamos no sangue lusitano uma boa dose de lirismo
Mesmo quando as minhas mãos estão ocupadas em torturar, esganar,
trucidar
Meu coração fecha aos olhos e sinceramente chora...''
Com avencas na caatinga
Alecrins no canavial
Licores na moringa
Um vinho tropical
E a linda mulata
Com rendas do Alentejo
De quem numa bravata
Arrebato um beijo
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

``Meu coração tem um sereno jeito
E as minhas mãos o golpe duro e presto
De tal maneira que, depois de feito
Desencontrado, eu mesmo me contesto

Se trago as mãos distantes do meu peito
É que há distância entre intencão e gesto
E se o meu coração nas mãos estreito
Me assombra a súbita impressão de incesto

Quando me encontro no calor da luta
Ostento a aguda empunhadura à proa
Mas o meu peito se desabotoa

E se a sentença se anuncia bruta
Mais que depressa a mão cega executa
Pois que senão o coração perdoa''
Guitarras e sanfonas
Jasmins, coqueiros, fontes
Sardinhas, mandioca
Num suave azulejo
E o rio Amazonas
Que corre Trás-os-Montes
E numa pororoca
Deságua no Tejo
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal
          * trecho original, vetado pela censura

SAUDADES DO POETINHA...



Pela luz dos olhos teus

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.
Um dia a maioria de nós
irá se separar.
Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora,
das descobertas que
fizemos, dos sonhos que tivemos,  dos tantos risos e momentos que
compartilhamos.
Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.


É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.


Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.


O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Dialética

É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz
Mas acontece que eu sou triste...



Vinícius de Moraes

SE NÃO TIVESSE AMIGOS

Erivaldo Alves*        

(Homenagem ao meu amigo Daniel Xavier, presidente da Associação das Pessoas com Deficiência de Ponte dos Carvalhos).    
Marcos 2.1-12           
“Sem amigos, ninguém gostaria de viver, mesmo que possuísse todas as coisas da vida”
Aristóteles

Imagine como devia ser a vida de um homem paralítico no mundo antigo! O tempo todo deitado em uma maca medindo 90 x 180 cm. Dependendo dos outros para tudo – beber, vestir, comer, tomar banho, conduzi-lo... Sem conhecer o que significa ser independente, uma condição que todos nós prezamos muito. Ele sonha que tem um corpo perfeito. Mas é só um sonho. Sem emprego, sem dinheiro, sem influência.
Acontece que ele tinha algo em seu favor: Tinha quatro amigos. Excelentes amigos! Verdadeiros amigos. Sua história existe por causa desses amigos extraordinários. Não teria se aproximado de Jesus, jamais teria sido curado, jamais teria recebido perdão, não fossem os amigos.      

ELE NÃO SE ISOLOU, MAS BUSCOU VIVER SUA DOR NA COMUNIDADE.

Em razão de sua condição física, não era fácil ter amigos. Sua etiqueta declarava: “Mercadoria com defeito.” Imagine que pessoas tidas como normais têm dificuldade de ter amigos verdadeiros, quanto mais pessoas com deficiências físicas!
Na antiguidade, a coisa era muito mais difícil para aqueles que tinham algum tipo de deficiência ou condicionamento físico ou mental.   

Os gregos defendiam a eliminação de recém nascidos com algum tipo de anomalia física. Segundo Aristóteles, “Deve haver alguma lei que impeça que as crianças deformadas sobrevivam”. 

Os romanos, no século V a.C., legislavam sobre o assunto da seguinte maneira: “Matar rapidamente uma criança deformada”.   

Os judeus atribuíam ao pecado, o fato da deficiência.       

Hoje apesar das inúmeras dificuldades enfrentadas por quem tem alguma deficiência, existem respeito e direitos que foram adquiridos através da mobilização de entidades representativas.

Os amigos daquele paralítico se reuniam com ele todos os dias para: Cantar-orar-adorar a Deus comer estudar. Não é de admirar que fossem tão unidos! Alguém já disse que “as pessoas sábias não têm pressa quando o assunto é amizade”.

Talvez a maior barreira que a maioria de nós tem para ter um relacionamento mais intenso com as outras pessoas seja simplesmente o ritmo de nossa vida. Não precisamos ter pressa para ouvir. Não podemos ter pressa para chorar. Não temos que ter pressa para carregar a maca de alguém.       

ELE TINHA UMA MACA     

Necessitava de alguém que o carregasse (isso era muito constrangedor). As pessoas o viam e sentiam sua fragilidade,suasfraquezas. Cada um de nós tem uma maca e precisamos de alguém que nos ajude a carregar -            
• É um temperamento difícil de ser controlado,      
• É a incapacidade de construir relacionamentos duradouros,       
• É o medo de que as pessoas te conheçam com tu és verdadeiramente,           
• É a desconfiança nas pessoas,     
• É a mentira, 
• É baixa auto-estima (por se achar incapaz, feio, solitário),          
• É o descontrole financeiro. 

Com quem você pode contar para carregar a maca? Você deixa transparecer para seus amigos suas fraquezas e lutas interiores? Você pede a alguém que ore por você e diz pelo que orar? Quem tem permissão para ver suas fragilidades e mesmo assim tê-lo como amigo? Se você deseja ter amizades, não pode ser sempre à parte mais forte. Às vezes, terá de permitir que alguém carregue sua maca. 

ELE TINHA AMIGOS DEMOLIDORES DE TELHADOS 

Jesus chega a cidade dele. Seus amigos ficam sabendo. Um deles diz: “Não podemos ir até lá sozinhos. Temos que levar nosso amigo. Ele ficará muito contente. Talvez Jesus possa curar nosso amigo. Vamos levá-lo”! Mas atrasaram... Ao chegarem ao local da reunião, o salão estava totalmente repleto de pessoas e não havia mais lugar nem mesmo à porta. Acontece que seus amigos não desistem e têm uma idéia arriscada: “Vamos arrombar o telhado e apresentá-lo a Jesus”. E assim fizeram. Desceram o paralítico e o Senhor elogiou a fé daqueles homens e também curou o paralítico. Se não fossem os amigos, aquele paralítico não teria se aproximado de Jesus e consequentemente não teria sido curado.   

*Erivaldo Alves é Pastor da Igreja Batista da Cohab e membro da Academia Cabense de Letras

quinta-feira, 24 de março de 2011

SANGUE TUPI



Por Valéria Saraiva
Cabo, 21/05/1999


Explode o vulcão do ocidente
Sua lava dissolve vilmente
As vértebras do animal.
Escorre das rochas crepitantes
Na síndrome de um gigante
Dilacerando a tribo tupi.
Os abutres voam festejando
O podre destino do índio daqui.
Escravo dos vermes
Na terra que é sua se viu consumir.

Dos fúnebres braços da tempestade
Viu respingar as gotas da maldade
A vitória do vulcão.
No silêncio da erupção
Na fumaça que sai do chão
Um vazio na amplidão.

Nenhuma flor para olhar
O jazigo onde está dormindo,
Nenhum olho pra chorar,
Nenhum ente pra lembrar
Esquecido como um mendigo
Somente os abutres a lhe devorar.

quarta-feira, 23 de março de 2011

`A VIDA


É vão o amor, o ódio, ou o desdém;
Inútil o desejo e o sentimento...
Lançar um grande amor aos pés de alguém
O mesmo é que lançar flores ao vento!

Todos somos no mundo "Pedro Sem",
Uma alegria é feita dum tormento,
Um riso é sempre o eco dum lamento,
Sabe-se lá um beijo de onde vem!

A mais nobre ilusão morre... desfa-se...
Uma saudade morta em nós renasce
Que mesmo momento é já perdida...

Amar-te a vida inteira eu não podia,
A gente esquece sempre o bom de um dia.
Que queres, meu Amor, se é isto a vida!
 (Poemas de Florbela Espanca, Martins Fontes, 1996 - São Paulo, Brasil)

terça-feira, 22 de março de 2011

A ORIGEM DO REAA

Por Kennyo Ismail

Afinal, qual é a origem do Rito Escocês Antigo e Aceito? Ele é Escocês, Francês ou Americano?

Os estudiosos de plantão afirmam sem pestanejar: “É francês!”

Mas na verdade, a resposta mais prudente seria: “Depende!” Pois, nesse caso, tudo depende do que você considera por “origem”.

Se você responder que a origem do REAA é escocesa, você não estará de todo errado. A base do Rito é tida como levada pelos Stuarts e sua corte, quando exilados na França.

Todos eram de famílias escocesas.




Já se você responder que a origem do REAA é francesa, isso não será um equívoco. O rito só criou forma na França, onde foi batizado como “Rito de Heredom”, possuindo 25 graus, e a partir de onde foi difundido.

Por último, se você responder que a origem do REAA é americana, não terá como desmenti-lo. Foi nos EUA que surgiu o termo “Rito Escocês Antigo e Aceito” para denominar o sistema composto pelos 25 graus do Heredom e mais os 08 graus lá criados, formando o sistema de 33 graus como é praticado hoje. Nos EUA nasceu o 1º Supremo Conselho do REAA no mundo, em 1801.

Desse modo, se você considerar a origem com base no nome e formato, o Rito é americano. Se considerar a origem com base no local onde sua prática começou a se desenvolver, o Rito é francês. Mas se considerar a origem com base em suas raízes e tradições, o rito é escocês.

Não há como dizer que uma origem é mais legítima que a outra. No mundo inteiro, os negros são chamados de afrodescendentes, os descendentes de japoneses de nipônicos, os judeus de sionistas. Os bisnetos de irlandeses nascidos nos EUA ainda se consideram irlandeses. Em todos esses casos, a origem não está no local onde nasceram, mas no local onde, de alguma forma, estão suas raízes. Foi seguindo essa linha de raciocínio que os americanos denominaram o Rito de “escocês”, pois as raízes do rito são realmente escocesas. Já seguindo o ponto de vista formal, legal, o rito é indiscutivelmente americano, pois foi nos EUA que ele foi organizado, nomeado, registrado, publicado, e onde a primeira organização para administrar o Rito foi criada. Porém, ao observar suas práticas, não há como descartar a essência da Maçonaria Francesa, incrustada em seus rituais.

Enfim, temos então um rito de raízes escocesas, desenvolvido na França e concluído nos EUA.

segunda-feira, 21 de março de 2011

ARIANO E O MOVIMENTO ARMORIAL


“Ariano é um fomentador de questionamentos, um gênio da literatura nacional."

Uma das referências da literatura pernambucana reside na obra do romancista e dramaturgo Ariano Suassuna. Membro da Academia Brasileira de Letras, Ariano tem sua obra permeada por valores e personagens da cultura popular nordestina e de clássicos da literatura universal. Um dos marcos na sua carreira é o romance A Pedra do Reino, lançado em 1971, e que já foi traduzido para várias línguas. Esta união de gêneros e estilos também serviu de inspiração para o escritor fundar, junto com outros artistas pernambucanos, em 1970, o Movimento Armorial que pretendeu criar uma arte brasileira erudita, baseada na cultura popular. O movimento - que surgiu, segundo Ariano, em oposição à invasão da cultura norte-americana no Brasil - ganhou adeptos em todas as áreas, se expandido na literatura, dança, teatro e música, e agregando nomes como Capiba, Guerra Peixe, Antonio Nóbrega, Antonio José Madureira e Jarbas Maciel.

O movimento armôrial, surgiu no dia 18 de outubro de 1970, com uma comemoração a altura, celebrada na Igreja de S. Pedro do Clérigos, com direito à exposição de artes plásticas e concerto com a Orquestra Armôrial de Câmara, rêgida por Cussy de Almeida. Ao contrário do que realmente acontece, a orquestra armôrial prescedeu o movimento. Em nosso idioma, Armôrial é somente substantivo. Ariano Suassuna passou à empregá-lo também como adjetivo, para qualificar os cantares do romanceiro, os toques de víola e rábeca dos cantadores- toques arcáicos, ásperos, acelerados, que chegam à lembrar a música barrôca. É portanto, uma arte brasileira erudita, embasada em nossas raízes populares. O movimento inspirou profundamente os poetas, músicos, atôres, bailarinos e artístas plásticos da década de 70. Representa, sobretudo, o ponta-pé inícial para elevar a nossa cultura ao máximo, tornando-a conhecida no mundo inteiro. Semelhante ao que podemos vivenciar nos anos 90, com o surgimento do movimento mangue, o qual mobilizou todos os râmos artísticos desde a música a moda, criando-se assim, um estilo bem próprio de fim de século.
Além dos romances, boa parte da obra de Ariano está dedicada à dramaturgia. É de sua autoria um dos textos mais encenados do teatro brasileiro, Auto da Compadecida, que também já ganhou uma versão adaptada para o cinema e foi traduzida para o alemão e o francês. O seu último trabalho para o teatro foi A História de Amor de Romeu e Julieta, uma versão do clássico de Sheakespeare com elementos da literatura de cordel. Dono de uma obra vasta e respeitada, o escritor confessa que o jornalismo sempre serviu de referência para seu traballho. Ele guarda uma pasta com recortes de jornais de matérias sobre cultura, astrologia, política e polícia. "Crio vários personagens a partir deste material", revela Ariano. Não é a toa que na trama de A Pedra do Reino, está o repórter Quaderno, redator da Gazeta de Taperoá, "o jornal mais antigo em circulação do Cariri paraibano". Aos 74 anos, Ariano ocupa o seu tempo, terminando de escrever àquele que considera ser o seu último livro. A obra, iniciada em 1991, é uma continuação de A Pedra do Reino.

COMEMORAÇÕES DO CENTENÁRIO DE BENEDITO CUNHA MELO

quinta-feira, 17 de março de 2011

OS DEZ MANDAMENTOS DA TERCEIRA IDADE

- NÃO SE APOSENTE DA VIDA PARA SE TORNAR A PRAGA DA FAMÍLIA. 
A vida é atividade e o verdadeiro elixir da eterna juventude é o dinamismo. Não despreze as ocupações enquanto tiver energia para as lutas cotidianas. SE não tiver nada pra fazer vá caminhar, passear no shopping, jogar baralho na praça... qualquer coisa, menos aporrinhar os outros!
Art. 2º
- SEJA INDEPENDENTE E PRESERVE A SUA LIBERDADE, MESMO QUE SEJA DENTRO DE UM QUARTINHO.
Quem renuncia ao próprio lar, obriga-se a andar na ponta dos pés, para evitar atritos com noras, genros, netos e outros parentes. Se possível more num flat...
MELHOR USAR SUAS ECONOMIAS PARA TER UM RESTO DE VIDA FELIZ!...  NÃO ECONOMIZE NO ITEM “MORADIA”... a próxima vai ser a última e DEFINITIVA!...
Aproveite a penúltima com tudo a que TEM DIREITO!...
Art. 3º
- MANTENHA O GOVERNO DA SUA PRÓPRIA BOLSA. 
Ajude os seus filhos financeiramente, na medida das suas posses;  reserve uma parte para emergências.  Tenha o melhor plano de saúde que puder pagar.  Se você depender do governo, TÁ NO SAL!
Art. 4º
- CULTIVE A ARTE DA AMIZADE COMO SE FOSSE UMA PLANTA RARA, CERCANDO OS FAMILIARES E AMIGOS DE CUIDADOS, COMO SE FOSSEM FLORES. 
Se a sua memória estiver falhando, anote numa agenda sentimental as datas mais importantes das suas vidas, e compartilhe com eles a alegria de estar presente.
Como você é um velho do século XXI, aprenda a mexer com a Internet: programe todos os aniversários em seu email... ele informará a você com antecedência... e você nunca mais esquecerá nada!
Art. 5º
- CUIDE DA SUA APARÊNCIA E SEJA O MAIS ATRAENTE POSSÍVEL.
Não seja um daqueles velhos relaxados, que exibem caspa na gola do paletó e manchas de gordura na roupa, que revelam o cardápio da semana.
Nunca despreze o uso de água e sabão.
Vá ao salão de beleza uma vez por mês, pelo menos: a moça vai fazer sua unha, seu pé, cabelo e barba... não tem preço ficar  ela agradando-lhe por uma gorjeta!                                       
VISTA-SE COMO UM LORD! NADA DAQUELAS BERMUDAS XEXELENTAS, MOLETONS ROSAS E SAPATINHOS DE VELHO...
Art. 6º
- SEJA CORDIAL COM OS SEUS VIZINHOS. 
Evite implicar-se com o latido do cachorro, o miado do gato, o lixo fedorento na calçada, ou o volume do rádio. Um bom vizinho é sempre um tesouro, especialmente se os parentes morarem distantes. 
SEJA ESPERTO: USE UM MP3 e OUÇA MÚSICA COM FONES DE OUVIDO PARA SE LIVRAR DOS BARULHOS QUE LHE CHATEIAM... UM FRANK SINATRA, JOBIM, CHARLIE PARKER, NAT KING COLE... ACALMARÃO VOCÊ E O FARÃO LEMBRAR DOS BONS TEMPOS...  SEM SAUDOSISMO...
SE ESTIVER DEPRESSIVO ATAQUE DE ELVIS, BEATLES, CREEDENCE, ROLING STONES... TUDO DO NOSSO TEMPO!
Art. 7º
- CUIDADO COM O NARIZ, E NÃO SE INTROMETA NA VIDA DOS FILHOS ADULTOS. 
Eles são seres com cérebro, coração, vontade, e contam com muitos anos para cometerem os seus próprios erros. FECHE A MATRACA!
Art. 8º
- FUJA DO VÍCIO MAIS COMUM DA VELHICE, QUE É A "PRESUNÇÃO".
A longa vida pode não lhe ter trazido sabedoria. Há muitos que chegam ao fim da jornada, tão ignorantes como no início dela. 
FAÇA DE CONTA QUE VOCÊ NUNCA VIVEU NADA! EXPERIÊNCIA NÃO SE PASSA! FIQUE SÓ OBSERVANDO OS ERROS E NÃO SE META, A MENOS QUE ALGUÉM PEÇA A SUA OPINIÃO, RESISTA À VONTADE DE DA-LA...TUDO O QUE É DE GRAÇA, NÃO TEM VALOR!
Deixe que a "humildade" seja a sua marca mais forte.
Art. 9º
- OS CABELOS BRANCOS NÃO LHE DÃO O PRIVILÉGIO DE SER RANZINZA E INCONVENIENTE.
Lembre-se de que toda paciência tem limite, e que não há nada mais desagradável do que alguém desejar a sua morte. Aprenda jogar xadrez, usar o MSN, ORKUT... OU OCUPE SUA MENTE COM OUTRAS COISAS! NÃO ENCHA O SACO DOS OUTROS.
Art. 10 º
- NÃO SEJA REPETITIVO, CONTANDO A MESMA HISTÓRIA TRÊS, QUATRO, CINCO VEZES. 
Quem olha só para o passado, tropeça no presente e não vê a passagem para o futuro.
FIQUE DE BOCA FECHADA E VOCE SERÁ UM SÁBIO! LEMBRE-SE QUE VOCÊ TEM DOIS OUVIDOS E UMA BOCA SÓ: ISSO NÃO É POR ACASO!
TEXTO: Adaptação de “Compreendendo Melhor Como Viver a Terceira Idade, na Opinião da Terceira Idade”, do Dr. Conceil Corrêa da Silva.
IMAGENS: Autores desconhecidos. FONTE: Internet .

TSUNAMI NO JAPÃO

Jairo Lima*

 

A fúria de um mar revolto,
Quase tudo deslocou:
O fixo ficou solto,
O solto se fixou.
E o povo? Ah... Esse povo!
Sempre maduro, cada espírito se equilibrou.



*Jairo Lima é da Academia Cabense de Letras

terça-feira, 15 de março de 2011

DEUS CAPACITA OS ESCOLHIDOS


Conta certa lenda,
que estavam duas crianças
patinando num lago congelado.
Era uma tarde nublada
e fria e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo se quebrou
e uma delas caiu,
ficando presa na fenda que se formou.
A outra, vendo seu amiguinho preso
e se congelando, tirou um dos patins
e começou a golpear o gelo com todas
as suas forças, conseguindo por fim
quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram
e viram o que havia acontecido,
perguntaram ao menino:
- Como você conseguiu fazer isso?
É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo,
sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, um ancião que passava pelo local,
comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram:
- Pode nos dizer como?
- É simples - respondeu o velho.
- Não havia ninguém ao seu redor,
para lhe dizer que não seria capaz..

 

"Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados,
CAPACITA OS ESCOLHIDOS.
Fazer ou não fazer algo só depende
de nossa vontade e perseverança


Mt 22:14 - Porque muitos são chamados.
Mas poucos os escolhidos.
 

quinta-feira, 10 de março de 2011